#34 – Eu, eu mesmo, e os livros

10/03/2021 14 Por Papo TR

Fala meu povo, tudo beleza? 

Por aqui as coisas finalmente desaqueceram e eu consegui ficar tranquilo na maciota, a vida está indo beeeeem nos trilhos e isso traz um sentimento muito bom, está tanto nos trilhos que estou tendo tempo diário pra fazer uma das coisas que mais gosto na vida: ler.

Mas relaxa que nesse post não vou ficar falando da importância da leitura ou dos benefícios, acho que isso já é bem batido e que não agrega muito, vou falar mais da minha história com a leitura (é um blog pessoal né rsrs).

Ler é uma atividade que eu gosto muito (acho que o canal do YT entrega um pouco), eu sempre tento manter esse hábito ativo, ler ali 30 minutos, 1  ou 2 horas por dia sempre me deixa animado e me dá a sensação que o dia rendeu. Pra quem tiver curiosidade atualmente estou lendo os livros Homo Deus (do mesmo autor de Sapiens, muito bom), O Ciclista Mascarado e Crash (esse estou lendo pela segunda vez).

Ler nem sempre foi algo ativo na minha vida, quando era criança/adolescente não gostava nem ferrando, mas acho que era porque eu tinha que ler por obrigação, sempre eram obras literárias fora do meu tempo e de difícil leitura, sem falar que tinha aquele velho objetivo de ganhar nota na escola. Lembro claramente de algumas obras, O Cortiço, Memórias Póstumas de Brás Cubas, Quincas Borba, Grande Sertão Veredas, Vidas Secas e muitos outros. Lembro desses porque foram os que mais gostei, me marcaram bem quando eu li, mas não quer dizer que eu gostei de ler eles naquela época.

Contudo, um livro (ou uma série de livros) mudou minha percepção sobre ler e fez eu me entregar de vez pra esse hábito: Harry Potter. Nossa!!! foi uma euforia muito forte porque eu gostava muito da ambientação que ele proporcionava na minha cabeça quando eu lia aquelas linhas, com um mundo mágico e diferente, li o primeiro e na metade dele já estava comprando o segundo, li o segundo já comprando o quarto, li o quinto em inglês e fiquei angustiado porque tinha que esperar ser lançado o último. Por causa dessa ansiedade quis ler outros, e daí foi ladeira abaixo, sai lendo que nem um monge medita, mas essa ladeira tinha um fundo e ele se chamava “o vestibular mais difícil do Brasil”.

Parei de ler livros que eu gostava pra decorar fórmulas de matemática, física e algumas de química, e depois que essa fase passou acabei não voltando. Acabei lendo muito pouco na faculdade (tirando livros de disciplinas), preferia conversar com amigos e matar tempo em outra coisa. Porém, logo depois de me forma a ociosidade da vida a só bateu em cheio e me trouxe de novo aos livros e deles me aproximei mais uma vez.

A pandemia foi um grande impulsionador desse hábito, era eu e eles, na verdade eu e a Amazon, porque chegava um livro a cada 2 semanas basicamente. Atualmente mantenho uma lista dos livros que li em 2020, fiquei surpreso com o número, li mais de 31 livros, sendo que não contabilizo todos porque aqueles que eu não gostei ou parei no meio ou que são pequenos demais eu não registro. Mas também acho cru contar a quantidade por livros mesmo, porque alguns podem ser enormes como Antifrágil ou O Conde de Monte Cristo ou pequenos como Quem é você? ou Pensamentos para mudar a vida, prefiro verificar em páginas, onde foram lidas 5653 páginas em 2020.

Atualmente tenho uma lista de livros que desejo ler e já tem mais de 40 livros. Fiz isso porque toda vez que acho que vou lembrar de cabeça eu acabo não lembrando e acho péssimo esse sentimento de não conseguir lembrar de algo que você queria aproveitar. Uma das “estratégias” que uso pra aproveitar os benefícios da Amazon é listar mais de 10 livros Kindle Unlimited e pagar um mês da assinatura apenas (aproximadamente R$ 20). Daí deixo os 10 baixados e vou lendo ao longo dos meses junto com outros que comprei normalmente ou pequei de graça no Le Livros.

Em 2021 pretendo continuar nesse ritmo, sempre lendo um livro reflexivo ou filosófico, um sobre finanças ou investimentos e outro sobre aventura, histórias ou viagens, gosto sempre de ler mais de 1 livro ao mesmo tempo porque tem dias que estou mais pra um, dias que estou mais pra outro, quando canso de um é só trocar e assim vai. Um dos meus objetivos para esse blog no futuro é criar uma páginas de livros recomendados e também fazer pequenos comentários ou resenha/reflexão sobre eles, visão bem pessoal mesmo. Mais pra frente vai sair, só esperem.

E vocês, estão afiados na leitura? Pra não dizer que esse post não teve nada pra agregar pra vocês vou deixar 2 livros sobre “finanças” que eu acho que são muito bons pra qualquer pessoa:

1. Crash: esse livro é excelente e tem uma linguagem e progressão narrativa que me encanta. Ele conta a história da economia passando por todos os eventos importante de uma forma descontraída e interessante. Gostei tanto do estilo do autor (Alexandre Versignassi) que fui atrás de outras obras e livros dele pra ler, mas vi que ele só publicou esse mesmo. Estou lendo ele pela segunda vez e já deixo marcado pra reler ele pela terceira daqui uns 2 anos, vale demais o tempo gasto. Não é de finanças (por isso as aspas), mas agrega muito no conhecimento econômico e sobre o mundo.

2. Iludidos pelo Acaso: é foda escolher apenas um livro do Taleb pra indicar, sem dúvida Antifrágil e A Lógica do Cisne Negro não ficam para trás, mas eu gosto muito do Iludidos pelo Acaso porque ele é mais leve e digestivo do que os outros dois, ele também é mais impactante e dar uns socos no estomago que são muito interessante. Recomendo esse livro mais pra quem gosta de mercado financeiro porque aí o aproveitamento é melhor, mas não deixa de ser um baita livro, foi a minha porta de entrada para os livros do Nassim e já li ele duas vezes e já está com a terceira agendada rsrs. De novo ele não é de finanças, mas agrega muito nessa área.

Pra termina, uma palavra do Taleb pra vocês rsrsConselho de Taleb para nósTR